Apresentação

Década 20:
Nesta época, caixeiro-viajante era uma profissão de grande prestígio não só pelos cobiçados produtos que o profissional trazia em sua maleta, mas pelo fato dessa figura representar uma espécie de jornal vivo da época, informante sobre os últimos acontecimentos.

Hoje, o antigo caixeiro-viajante deu lugar ao “profissional de vendas”, ou para nós, que vivemos essa louca, mas apaixonante carreira, simplesmente VENDEDOR.

Esse espaço é dedicado a todos que são e os que queiram ser VENDEDORES de produtos, serviços e sonhos.

Sejam bem-vindos!


Cézanne Rodrigues Coelho

Caixeiro News

Loading...

Algumas empresas estão substituindo a figura do vendedor/rep. comercial pelo tele-marketing. Voce é contra ou a favor?

terça-feira, 18 de maio de 2010

A Incrível Arte de Negociar

PAI - escolhi uma ótima moça para você casar.
FILHO - Mas, pai, eu prefiro escolher a minha mulher.
PAI - Meu filho, ela é filha do Bill Gates…
FILHO - Bem, neste caso, eu aceito.

Então, o pai negociador vai encontrar o Bill Gates.

PAI - Bill, eu tenho o marido para a sua filha!
BILL GATES - Mas a minha filha é muito jovem para casar!
PAI - Mas este jovem é vice-presidente do Banco Mundial…
BILL GATES - Neste caso, tudo bem.

Finalmente, o pai negociador vai ao Presidente do Banco Mundial.

PAI - Senhor Presidente, eu tenho um jovem recomendado para ser vice-presidente do Banco Mundial.
PRES. BANCO MUNDIAL - Mas eu já tenho muitos vice-presidentes, mais do que o necessário.
PAI - Mas, senhor, este jovem é genro do Bill Gates.
PRES. BANCO MUNDIAL - Neste caso ele pode começar amanhã mesmo!

Conclusão: Não existe negociação perdida. Tudo depende da estratégia.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

FEMUR - Feira de Móveis de Minas Gerais

Femur movimenta a economia de Ubá e região trazendo oportunidade de emprego e renda
A Femur – Feira de Móveis de Minas Gerais consolida-se, a cada edição, como umas das feiras mais importantes do setor moveleiro. Ela caracteriza-se pela organização e bons negócios que proporciona. O evento, que acontece entre os dias 10 e 14 de maio, é direcionado a lojistas e profissionais do setor de todo o país e exterior.
Além disso, a existência do polo moveleiro de Ubá e região proporciona uma forte atividade econômica em vários setores, fazendo com que eles também se desenvolvam. A intensa produção da indústria moveleira promove o desenvolvimento social, econômico e cultural da região que acompanha e se beneficia do setor. Segundo o Intersind, nos últimos dez anos, o setor moveleiro gerou para o município de Ubá um total de 28.696 empregos. Já na micro região, esse número sobe para 44.155 pessoas empregadas.
Vários setores do comércio como bares, restaurantes, hoteis e postos de gasolina têm aumento significativo do fluxo de pessoas durante a Femur. Entretanto, os benefícios também são frequentes, mesmo não estando na época da feira. O setor movimenta diariamente diversas atividades, seja por meio de visitas empresariais ou pelo poder de compra que as pessoas passam a ter à medida que garantem uma renda fixa.
A economia é desenvolvida nas nove cidades pertencentes ao polo, tornando-se visível o número de instituições e empresas que se instalam na região atraídas pela atividade moveleira.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Uma lição de vida!

Quem é David Camelô?

Greve de Vendedores paralisa o Brasil!

Outro dia, ao ligar a televisão à noite, deparei-me com o casal William Bonner e Fátima Bernardes, noticiando no Jornal da Record: Greve de vendedores paralisa o comércio e compromete o abastecimento de famílias e empresas brasileiras! Vendedores cruzam os braços em prol de aumento e reivindicam perdas acumuladas nos últimos anos. A tropa de choque da polícia, armada com gás lacrimogêneo, spray de pimenta e cassetetes, já está a postos para reprimir os protestos e o conflito será inevitável…

Só então, ao acordar assustado, percebi que toda essa cena não passava de um sonho (ou pesadelo). O pior é que eu não sabia o que tinha me assustado mais: ver o casal 20 do jornalismo brasileiro na TV Record, ou presenciar, pela primeira vez em minha vida, uma greve de vendedores. Nem preciso dizer que não consegui mais dormir e passei a noite em claro pensando o porquê de até hoje nunca ter visto uma greve de vendedores. E você? Já viu alguma? Já parou para pensar por que não há greve de vendedores?

Veja se você consegue imaginar a cena que me fez perder o sono. Vários vendedores gritando em uníssono: “Queremos aumento! Queremos aumento!”. Um piquete formado e cartazes com as seguintes frases: VENDEDORES UNIDOS jamais serão vencidos! Por uma COMISSÃO MAIOR! Diga NÃO AO DESCONTO! Estabilidade JÁ! Abaixo à DISCRIMINAÇÃO! Queremos MAIS BRINDES! MAIS COMBUSTÍVEL! Sem falar em imagens de São Ficário (padroeiro dos vendedores lojistas), São Tiago (padroeiro dos vendedores de sapatos) e até “Padim Cícero” sendo erguidas como armas contra os policiais. Uma fogueira de contracheques e contas a pagar sendo queimadas em barricadas…

Meu amigo, acredito que você nunca a tenha visto e, provavelmente, nunca vai vê-la. Mas se você já viu alguma greve nacional de vendedores, por favor, avise-me e me envie a reportagem, pois não me lembro de nenhuma.

Em primeiro lugar, vendedor comissionado é uma das poucas profissões onde você tem influência direta e imediata sobre seu salário. Ou seja, o funcionário diz quanto quer ganhar no final do mês e corre atrás. Quem quer ganhar mais tem que trabalhar mais. Simples! Acordar mais cedo, dormir mais tarde, cair em campo e intensificar os esforços. Quem quer ganhar mais deve investir em mais competência, aprimoramento constante, relacionamento, atitude e atendimento excelente.

Em segundo lugar, não faltam empregos para vendedores competentes. Ao contrário, as empresas disputam esse profissional. O vendedor que fica sempre na última posição do ranking de vendas não pode culpar o mercado, pois na mesma empresa o líder em vendas goza de salários e comissões generosas. Ele troca de carro, casa, roupa, celular, penteado, esposa (marido), viaja todos os anos… Dinheiro não é problema para vendedores campeões. O problema desses vendedores é dar conta de tantos clientes que ligam procurando seus produtos e serviços.

Em terceiro lugar, todos sabem que devem procurar servir e trabalhar mais se quiserem ganhar mais. Não tem para onde correr. Quem quer mais contratos tem que desenvolver mais contatos. Vender gera comissão. Mas ajudar e servir às pessoas gera clientes e fãs. Mesmo quando o vendedor está na empresa errada, vendendo o produto errado, ainda pode apresentar um grande resultado e ser contratado por outra melhor e maior. Vendedor competente não precisa competir por emprego, pois já competiu e conquistou muitos clientes e renome no mercado.

Em quarto lugar, quem não nasceu para ser vendedor, não dura muito no emprego, pois é o primeiro a pedir demissão e dificilmente volta a trabalhar como vendedor. Então, não tem mesmo muito do que reclamar. É pegar o chapéu e se mandar. “PEDE PRA SAIR ZERO DOIS!” – dirão alguns gerentes Nascimentos. A pressão é muito forte por resultados. O tempo é curto. A concorrência é devastadora. A pressão pelo preço baixo é diária. Sem falar na família para criar, contas atrasadas, ex-mullher, ex-marido, carro detonado, pensão alimentícia…

Em quinto lugar, dificilmente veremos vendedores paralisarem as visitas e propostas para ficarem fazendo piquetes pelo aumento de salário e comissão. Eles sabem que mesmo uma comissão pequena pode produzir muito dinheiro, no final do mês, se o montante vendido for muito alto. Greve de vendedores não, mas de competência eu já vi várias na área de vendas.

Por último, muitos vendedores já sabem que tem alguns vendedores espertos só esperando uma paralisação para visitar os clientes da concorrência e vender mais. Pense numa classe desunida! Realizo treinamentos nos sindicatos para vendedores e já ouvi várias vezes de alguns vendedores que não foram ao evento: “Aproveitei que toda minha concorrência estava no seu curso durante todo o dia e visitei o dobro de pessoas para vender mais”. Dá para acreditar que um cara desses vai fazer piquete e enfrentar uma tropa de choque?

Portanto, amigo, se você está insatisfeito com seus resultados de vendas, comece desde já a desenvolver mais competência, ler mais livros, fazer cursos, investir em networking, servir mais às pessoas e, principalmente, a solucionar os problemas de seus clientes. Aprenda com os campeões em vendas, que jamais perderão tempo fazendo greves. Ou então, “PEDE PRA SAIR!” Afinal, é mais fácil você ver William Bonner e Fátima Bernardes na TV Record do que uma greve nacional de vendedores.

Vendedores, UNI-VOS!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Caixeiros pelo mundo

Criatividade e um bom marketing é tudo na hora da venda.

sábado, 27 de março de 2010

Vendas Casadas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Venda casada é expressamente proibida, no Brasil, pelo Código de Defesa do Consumidor (art. 39, I), constituindo inclusive crime contra as relações de consumo (art. 5º, II, da Lei n.º 8.137/90). [1]

É caracterizada quando um consumidor, ao adquirir um produto, leva conjuntamente outro seja da mesma espécie ou não. O instituto da venda casada pode ser visualizado quando o fornecedor de produtos ou serviços condiciona que o consumidor só pode adquirir o primeiro se adquirir o segundo.

Um exemplo muito comum é vivido por Brasileiros ao tentar obter empréstimos em Bancos. [2]. Os bancos costumam realizar um empréstimo se o cliente contratar um seguro, ou outros serviços do banco.

Atualmente se questiona a venda do computador juntamente com o Software da Microsoft, o qual tem um custo incluso na compra do computador, mas que não pode ser discutido, em alguns casos se o consumidor tem interesse em adquirir o sistema operacional junto com o computador. A consumação Mínima é um caso clássico de venda casada. pois o consumidor não pode ser obrigado a consumir aquilo que ele não deseja. O STJ decidiu que uma rede de cinemas não pode impedir a entrada de alimentos, pois se configura a venda casada quando a pessoa se vê obrigada a comprar a pipoca (muito mais cara) dentro do cinema, quando ela pode comprá-la fora do cinema e levá-la consigo para assistir o filme (REsp 744602 / RJ de 1 de Março de 2007, STJ).

domingo, 21 de março de 2010

A Arte de Vender é Inovar

Tomar decisões sobre inovações significa assumir riscos e todo executivo ou gerente de vendas sabe desta realidade. Por que as boas empresas olham e incentivam esta cultura?
Num mundo em que a velocidade das transformações é cada vez maior, empresas que não forem inovadoras, ou melhor, regularmente inovadoras, tendem a perder participação de mercado e conseqüentemente sua liderança. Sabemos que o objetivo de toda e qualquer empresa é conquistar novos clientes, reter e manter seus melhores e potenciais clientes e obter lucro.
Agora faça um pequeno exercício: Como sua empresa e seus concorrentes perseguiam estas metas ?
Se a sua resposta foi aumentar a prosperidade pela perseguição da melhora da eficiência, cortando custos e praticando processos administrativos de reengenharia, just in time, entre outras, você tem um problema pode ter certeza.
Embora estes objetivos não se tenham modificado ao longo do tempo, a forma como eles ocorrem efetivamente está alterada. No cenário competitivo atual, não se consegue gerar mais lucro sem criar novas receitas, e para isso faz-se necessário inovar.
Quando pensamos na arte e significado da inovação, podemos afirmar que não se limita ao produto pois ela pode surgir no processo, na gestão, na abordagem ao mercado. E é sobre esta última que gostaríamos de tecer comentários.
Um dos pilares da inovação é a orientação e perfil de uma equipe de vendas talhada para perseguir de forma consistente estes objetivos. Estes vendedores não se preocupam apenas com a obtenção de pedidos e ou contratos de um determinado período, eles estão efetivamente pensando sobre qual produto venderá para o cliente nos próximos cinco anos, porque, se não pensar assim, ele enfrentará graves dificuldades quando chegar a época.
Para isso é preciso que além do perfil técnico forte, da experiência e conhecimento do mercado, se processe uma mudança de mentalidade na forma de se relacionar. Será mandatário que eles se embrenhem nos corredores de seus clientes, obtendo informações com todas as áreas e departamentos, sejam de engenharia, marketing, finanças, logística e etc. resultado destes contatos e observações é que serão os insumos da inovação. Somente por meio deste processo e metodologia de vendas é que as empresas poderão estar introduzindo novos produtos que solucionem as necessidades e desejos de nossos clientes.
Assim sendo, podemos deduzir que a habilidade de ouvir o mercado é a real vantagem competitiva, o Santo Graal das empresas, pois permite o desenvolvimento da capacidade de questionar premissas, fundamental para o descobrimento de novos mercados. Formar uma equipe de vendas com estas características não é coisa rápida, demanda muito tempo e treinamento, isto é, a necessidade de desenvolver um estilo próprio de vender. É preciso criar uma cultura de pensamento de longo prazo para que se possa adquirir a competência de enxergar mais longe, e por isso mesmo, desenvolver habilidades e características de relacionamento, que os ajudarão a conseguir mais facilmente a transformar as informações em idéias e estas em riqueza e lucros para as empresas.
Vale notar que será preciso investir recursos e tempo na adoção desta filosofia, porque esse processo de transformação exige recursos ininterruptos e demora alguns anos para que os resultados comecem a aparecer. No entanto, pode estar certo de que vale a pena.

Cláudio Goldberg,
Consultor do do MVC - Instituto MVC